11 de dez de 2016

Querido John - Resenha


O que você faria com uma carta que mudasse tudo?”...



Eu sei o que eu não faria... Daria conta de situações tão pesadas na minha vida!
Vamos à resenha: o livro é simplesmente muito bem escrito e traduzido. “Querido John” conta a história de um soldado (John) que cresceu como um rebelde adolescente que precisava de atenção e de se sentir normal. Ele se alista no exercito, porém em uma de suas licenças conhece Savannah, uma universitária com um coração tão grande e com tanto em comum com ele que parecia trazer sentido a sua vida. A vida continua e acontece e assim vai seguindo a história do livro.
Foco narrativo em primeira pessoa é mostrado através da perspectiva de John. Ele conta a história mostrando um ponto de vista maduro e muito consciente das ações. A neutralidade dele em algumas partes é tamanha que às vezes percebo que nem sempre dá pra confiar na narrativa dele. Como personagem ele é maravilhosamente honesto e bem construído, porém não muito realista. E aí que vem o problema, em minha opinião, será que eu que só me deparei com homens que não valem a pena a ponto de ver John como alguém irreal? Isso acabou me dando uma crise emocional pesada nessa semana que li o livro. Ele tem falhas, ele as reconhece, e na verdade ele não só aprende muito com os outros personagens como ensina também. É dotado de uma maturidade emocional enorme. Eu não conheci até hoje que ninguém assim, mas acho que isso que é interessante quando lemos um livro: essa ênfase nesses atributos do John é justamente o que me chamou a atenção porque acredito que seja algo que eu esteja pensando em constantemente melhorar em mim também.
Savannah, aquela por quem John se apaixona completamente. Ela é construída de uma forma muito bonita. Ela tem falhas, ela é sempre muito direta e com um carinho por ele e pelo pai dele que também acredito ser raro não só em uma personagem, como também em um ser humano. Quando estamos em um relacionamento estamos sempre tão ligados a pessoa com quem nos relacionamos que mal nos interessamos em quem os cerca, ou simplesmente aceitamos suas companhias. “Quando compramos uma casa, as vezes temos que aceitar os corvos que vem com ela”. Família, amigos, problemas... isso tudo vem com a pessoa e nós criamos muitas vezes uma bolha isolando essa pessoa seguramente dentro de nosso mundo, acreditando sempre nessa existência isolada, quase a vácuo. Nós tiramos a experiência de realidade de um relacionamento, por isso quando não damos certo nos isolamos, nos excluímos, excluímos outros e por assim seguimos muito egoístas pela vida. Savannah traz esse altruísmo genuíno ao texto.

Tim, amigo de Savannah. Ele é tão carismático que faz com que a história seja aparentemente injusta a medida que se segue. Eu acredito que ele traz também esse altruísmo para a história, e de uma perspectiva masculina.
Sr. Tyree, pai do John. Ele é o exemplo do que um pai faz por nós todos os dias. Independente dos problemas que têm, ele criou John, ele fez o que pôde pelo filho e seguiu assim enquanto teve forças. Ele é metódico e segue assim ao longo do livro.
Depois dos personagens o enredo também me chamou muito a atenção. Cartas são trocadas e tem todo aquele ambiente de exército americano na história. Os temas também são bem trabalhados: autismo, guerra, relacionamentos, relacionamentos a distância, abusos, amadurecimento do ser, problemas familiares e dentre outros que acredito estarem mais intrínsecos a história. O simbolismo também das moedas me chamou tanto atenção, como uma simples coleção de moedas passou de herança para a perspectiva de renascimento e recomeço e de problemas para memórias esperança.
Nicholas Sparks me trouxe realmente em contato com os mais diversos sentimentos nesse livro, e agora sinto que quero ler mais livros dele. Sua escrita é impecável e recomendo com certeza a leitura para os mais variados perfis de leitores.

OBS: Eu fui abduzida por ETS (brincadeirinha galera rsrs)... Perdão leitores. Eu estou num encerramento do meu curso e no início de uma nova fase da minha vida, mas nunca paro de sentir falta de trabalhar no blog e trazer resenhas e conteúdo de qualidade para vocês. Levando em consideração o simbolismo da coleção de moedas do livro, esse blog traz uma coleção de memórias e todo livro que coloco aqui, assim como toda notícia traz uma carga de algo que está acontecendo em minha vida e em meu país. Acredito que seja a melhor pegada que esteja deixando para o meu eu futuro e espero estar trazendo o melhor para vocês também. Estamos chegando ao fim do ano e um recomeço em 2017, e sinceramente desejo a todos que apoiam o blog e a página no face excelente festas e nos veremos mais por aqui!