4 de mar de 2014

A Menina Que Não Sabia Ler - Resenha

Sinopse - 1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros - únicos companheiros e confidentes - antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?

FICHA TÉCNICA -


Título: A menina que não sabia ler

Autor: John Harding
Editora: LeYa



Misterioso, intrigante e cheio de "pontas soltas" - Karlla Sieira


Eu li essa obra tem algum tempo e não gostei. O enredo e a estrutura usada são ótimos, mas acho que o desfecho poderia ter sido mais explorado. O que acontece é o seguinte:


Florence é uma menina de 12 anos que mora na mansão de seu tio e tutor, com seu irmão Giles e mais alguns poucos empregados e adoraria ir a escola e aprender a ler, mas isso lhe foi negado pelo tio negligente que nem mora com eles.



Para ter o que fazer durante os longos dias de verão, seu passatempo é explorar a mansão e é em uma dessas expedições, que ela descobre uma biblioteca em uma das alas proibidas. Mas isso não muda muita coisa, já que é, terminantemente, proibida a entrada de qualquer pessoa em tal paraíso - ou muda?



A trama se enrola, desenrola, dá alguns nós que logo em seguida se desfazem; e quando termina o desfecho é surpreendente - tenho que concordar com isso -, mas não é algo que te dê um júbilo de emoção e entendimento, uma vez que fica muitas pontas soltas no decorrer do livro.



O mais intrigante é que quando você lê a última página e fecha o livro, paira sobre sua cabeça uma nuvem cheia de perguntas, que te remetem a confabular quem é realmente a Florence e até onde ela é capaz de chegar para ter o que deseja?



Em determinado ponto da história, há uma tragédia, que no final vai te fazer se perguntar: Florence foi a causadora de tudo?, isso devido ao fato dela transpassar frieza na hora de calcular o próximo passo a ser tomado.



Agora eu pergunto, onde começa e termina a imaginação de uma criança que acha que está em constante perigo? É assim que ela se vê e para mudar isso é capaz de coisas inimagináveis.





Bom pessoal, essa foi minha primeira resenha aqui no blog e espero que tenham gostado.  bju bju a todos (^.^) 




Postar um comentário